COPA AFRICANA DAS NAÇÕES 2017 – PARTE 1 – Detalhes sobre o evento


A 31ª edição da Copa Africana das Nações (CAN) começa neste sábado, dia 14 de janeiro, tendo como sede o Gabão. Inicialmente, a principal competição entre seleções da África, que é realizada de dois em dois anos, estava programada para ser disputada na Líbia. Entretanto, em agosto de 2014, a Confederação Africana de Futebol (CAF) vetou o país do norte africano, devido ao fato de o mesmo não ter condições de sediar o torneio em função da guerra civil que ainda provoca muitos problemas na Líbia.

O vencedor da Copa Africana das Nações 2017 garante vaga para disputar a Copa das Confederações 2017, torneio preparatório para a Copa do Mundo e que será disputado entre os dias 17 de junho e 2 de julho, na Rússia. A África é o último continente a definir seu representante nesta competição. Assim, de antemão, já se sabe que a seleção africana a representar o continente estará no grupo B, juntamente com Chile, Austrália e Alemanha. Um grupo complicado, mas sempre um ótimo teste para qualquer seleção.

Cidades-sedes

Organizador da Copa Africana das Nações em 2012, juntamente com a Guiné-Equatorial, o Gabão recebe novamente a competição, justamente por ter uma infra-estrutura enxuta, apesar do país viver um momento político-econômico instável, o que vem resultando em inúmeras críticas, tanto por parte dos torcedores, como da imprensa. Assim como ocorreu no Brasil com a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, os críticos entendem que os investimentos para receber novamente a CAN são desnecessários e poderiam servir para outras áreas, como saúde e educação. Entretanto, apesar da crise de ordem política-econômica pela qual passa o Gabão, o país é considerado seguro dentro da sua democracia e não possui milícias ou grupos extremistas, tendo o Exército Nacional o controle da segurança da nação.Tudo isso influenciou decisivamente a comissão da CAF na escolha do país como sede do principal torneio da África, o qual completa 60 anos de história em 2017.

Capital e maior cidade do país, Libreville receberá jogos dos grupos A e B, além de partidas decisivas das quartas, semis e a grande final, que serão realizados no Stade de l’Amitié, o maior do país, com capacidade para 40 mil espectadores e que recebeu jogos da CAN2012, incluindo a final da competição, que foi vencida ineditamente pela seleção de Zâmbia.

Stade de l’Amitié receberá a grande final da CAN2017 (foto: divulgação)

Terceira maior cidade do Gabão, Franceville também receberá jogos dos grupos A e B, além de um jogo das quartas e uma semifinal. Com capacidade para 22 mil espectadores, o Stade de Franceville é o segundo maior do país e em 2012 também recebeu jogos da CAN.

Stade de Franceville, na terceira maior cidade do Gabão, receberá jogos importantes (foto: divulgação)

Localizada à beira do Oceano Atlântico, Port-Gentil é a segunda maior cidade do país. Construído especialmente para a competição, o Stade de Port-Gentil, com capacidade para 20 mil espectadores, irá receber jogos dos grupos C e D, além de um jogo das quartas de final e a decisão de terceiro lugar. No entanto, as obras de construção do estádio atrasaram e o mesmo foi entregue a poucos dias do começo da competição. Assim, a área de infra-estrutura externa do estádio ainda segue em construção e deverá ser entegue na sua totalidade após a competição.

Com obras atrasadas, o moderno Stade de Port-Gentil, é um dos estádios mais bonitos da CAN2017 (foto: divulgação)

Localizada ao norte do país, Oyem é a quarta maior cidade do Gabão. O Stade d’Oyem, com capacidade para 20,5 mil espectadores, receberá jogos dos grupos C e D, além de um jogo das quartas de final. Inaugurado a cinco dias do início da competição, possui uma arquitetura moderna e uma estrutura interna muito bonita. Assim como em Port-Gentil, o estádio ainda precisa ter a sua área externa concluída, o que deverá ocorrer apenas após a CAN.

Recém inaugurado, o Stade de Oyem é um palco inspirador para quem gosta do futebol (foto: divulgação)

O Formato e as Regras da Competição

Disputada por 16 seleções divididas em quatro grupos (do A ao D) com quatro seleções cada. Classificam-se para as quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo. Em caso de igualdade de pontos entre duas seleções, os critérios de desempate são:

a) maior número de pontos no confronto entre as seleções empatadas;
b) saldo de gols de todos os jogos do grupo;
c) maior número de gols marcados em todos os jogos do grupo;
d) sorteio.

No caso de igualdade de pontos entre três ou mais seleções, os critérios são:

a) maior número de pontos obtidos nos jogos entre as equipes envolvidas;
b) saldo de gols nos jogos entre as equipes;
c) maior número de gols entre as equipes;
d) saldo de gols em todos os jogos do grupo;
e) números de gols marcados em todos os jogos do grupo;
f) sorteio.

A partir das quartas de final até a final, as equipes classificadas jogam em sistema eliminatório, em jogo único. Em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação de 30 minutos e, em persistindo o empate na prorrogação, o classificado sairá da disputa por pênaltis.

As principais ausências da CAN 2017

Campeã em 2013 com um ótimo futebol, a principal ausência da fase final da CAN deste ano é, sem sombra de dúvidas, a Nigéria. Integrante do grupo G das Eliminatórias para a competição, os nigerianos tinham o Egito como grande adversário na busca por uma vaga na fase final, além de Tanzânia e Chade. Este último, após jogar os três primeiros jogos do turno, desistiu do torneio, tendo seus jogos anulados para qualquer efeito de pontuação ou artilharia.

Em 2017, não teremos a Nigéria, campeã em 2013, uma das forças da África, na CAN e grande decepção das Eliminatórias do torneio (foto: A.FRANCA/SIPA/AP)

Os nigerianos fizeram apenas cinco pontos, contra dez do Egito. Perderam para um Egito muito confiante no Cairo e apenas empataram em casa. Fora isso, a equipe empatou com a Tanzânia fora de casa, deixando pelo caminho pontos importantes, além de suscitar a dúvida em relação ao seu futuro e o temor de não conseguir a classificação para o Mundial da Rússia.

Outra tradicional seleção do continente que não se classificou para esta edição da CAN é a seleção da África do Sul. Integrante do Grupo M, ficou na terceira colocação, atrás da sempre favorita Camarões e da “zebra” Mauritânia, ficando apenas a frente de Gâmbia. Os sul-africanos até conseguiram igualar as ações nos dois jogos diante dos camaroneses (dois empates em jogos muito disputados), mas perderam pontos para a própria Mauritânia e para a fraquíssima seleção de Gâmbia. Assim, com esta falta de regularidade, os sul-africanos foram uma das decepções desta Eliminatória e, assim como com os nigerianos, deixaram um clima de apreensão no país quanto ao futuro da equipe e sobre a possibilidade de brigar por uma vaga na Copa do Mundo de 2018. Em um grupo complicado (com Burkina Faso, Senegal e Cabo Verde), a África do Sul começou bem (vice-líder com quatro pontos, mesmo número do líder Burkina Faso). Resta ver se conseguirá manter o ritmo.

Grupos da CAN 2017

Acompanhe as emoções da principal competição de seleções da África, aqui no Doentes por Futebol, a casa do futebol africano no Brasil.

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.