O Corinthians de Fábio Carille: o Timão do Século XXI

  • por convidado
  • 10 Meses atrás

(Por Michel Corbacho, do blog “A Cancha“)

Ao vencer o Fluminense, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017, o Corinthians de Fábio Carille garantiu o tão aguardado título da competição. Com o feito, o Timão tornou-se o maior campeão da década.

O clube alvinegro chegou à sétima conquista de Campeonato Brasileiro na sua história. Superou rivais como São Paulo e Flamengo, no ranking dos maiores vencedores da Série A. E alcançou a impressionante marca de 16 títulos no século. Os principais sendo: Libertadores e Mundial de 2012 e os Brasileiros de 2005, 2011, 2015 e 2017. É inegável a reestruturação e crescimento institucional do Corinthians no Século XXI. Isso se reflete diretamente no campo de jogo, no futebol praticado e no aumento considerável de títulos.

Ao que parece, o Corinthians “encarnou” um estilo de jogo próprio. Estilo este que, apesar de algumas rupturas, nota-se desde 2011 ( primeiro título Brasileiro da década, com Tite). E, com o passar dos anos, o Timão mantém certa identidade: time compacto em campo, bem definido taticamente e mantendo a ideia deste estilo de futebol apresentado, dentro e fora dos seus domínios.

Leia mais: O competente e organizado Corinthians de Tite

 

E se Tite sedimentou o estilo organizado do Corinthians, Fabio Carille tratou de dar prosseguimento a ele. Se seu trabalho foi bastante questionado ao assumir a equipe; suas conquistas no Paulistão 2017 e depois no Brasileirão vão tratando de provar que o ex-auxiliar técnico tem cancha para comandar uma equipe grande. Sua trajetória na Série A 2017 prova isso.

Primeiro turno irrepreensível

Definitivamente, o Timão iniciava o Brasileirão 2017 sob forte desconfiança. Tratava-se de uma equipe de pouco investimento financeiro e com um jovem treinador no comando. O Corinthians de Carille não era visto como pertencente a prateleira dos candidatos ao título. Entretanto, nada como um trabalho bem feito para surpreender.

O primeiro turno da equipe corintiana marcou-se como o melhor de todos na história dos pontos corridos. Nos primeiros 19 jogos, o Corinthians conquistou 14 vitórias e empatou em 5 oportunidades. Primeiro turno de Série A invicto, com um aproveitamento de 82%. Impressionante!

O Corinthians no primeiro turno do Brasileiro 2017: 82% de aproveitamento! (Fonte: Footstats)

O Corinthians no primeiro turno do Brasileiro 2017: 82% de aproveitamento! (Fonte: Footstats)

Vitórias importantes e taxativas foram credenciando a campanha pelo título brasileiro. São exemplos: 3×2 diante do São Paulo, sexta rodada. Na 10ª, bateu o Grêmio por 1 x 0, em plena Arena Grêmio. O finalista da Libertadores 2017 era o vice-líder do campeonato com apenas três pontos atrás do próprio Corinthians. Foi um resultado maiúsculo que mostrou a força do Corinthians de Carille.

E, na 13ª rodada, o alvinegro venceu o clássico diante do Palmeiras. Jogo grande e também fora de casa. 2 a 0 para o Timão.

47 pontos conquistados ao final do primeiro turno da competição. O Corinthians já havia colocado os críticos no bolso e se creditava como principal candidato ao título. Além do ótimo desempenho (em casa ou fora), o Timão “assistia de camarote” enquanto seus principais concorrentes dividiam as atenções entre o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores da América.

Carille e seus comandados somente dependiam de si mesmos. Aí que estava o problema…

A instabilidade no segundo turno

A equipe dirigida por Carille não conseguiu manter a regularidade e o aproveitamento da primeira metade do Campeonato Brasileiro durante o segundo turno da competição. Evidente que seria difícil a permanência dos números exaltados durante o início do campeonato. O desgaste do elenco e o conforto da vantagem em comparação às outras equipes fizeram o futebol do Corinthians cair de rendimento.

O aproveitamento caiu para 67% no Campeonato Brasileiro, com índice de 50% no segundo turno.

Aproveitamento do Corinthians no Campeonato Brasileiro cai para 67%. No segundo turno, o índice é de 50% (Fonte: Footstats)

Aproveitamento do Corinthians no Campeonato Brasileiro cai para 67%. No segundo turno, o índice é de 50% (Fonte: Footstats)

Devido a essa instabilidade na segunda metade do campeonato, aliado ao crescimento do Palmeiras na competição após a demissão do técnico Cuca, o Corinthians sofreu pressão do rival pela disputa da ponta na tabela.

Antes do clássico decisivo diante do Palmeiras, na 32ª rodada, o Corinthians havia tropeçado contra Bahia, Botafogo e Ponte Preta, conquistando apenas um ponto em 12 disputados, ao empatar por 0 a 0 em casa diante do Grêmio, na rodada de número 29.

O divisor de águas: vitória no dérbi e corrida para o título!

O moral do elenco corintiano estava abalado. Para recuperá-lo e manter a diferença de pontos para o seu rival, a equipe teria que, no mínimo, empatar com o Palmeiras. O alviverde chegara embalado para o duelo com cinco partidas de invencibilidade.

E o Corinthians precisava mesmo de elevação da confiança para que o futebol jogado em campo voltasse como estivera durante o primeiro turno. A torcida ‘fiel’melhor média de público do Brasileiro 2017 – ajudou a reerguer o moral dos jogadores com apoio durante a prévia do dérbi, considerado por muitos, como a ‘final’ do campeonato.

Fiel torcida lota treino prévio antes do dérbi decisivo (Foto: corinthians.com.br)

Fiel torcida lota treino prévio antes do dérbi decisivo (Foto: corinthians.com.br)

Ao bater o Palmeiras por 3 a 2 e aumentar a vantagem na liderança, o Corinthians voltou a demonstrar características do futebol jogado no primeiro turno: padrão de jogo com solidez defensiva e a eficiência no setor de ataque, destacado por Jô, artilheiro da competição com 18 gols.

Na sequência, o Corinthians mantém o aproveitamento e garante vitórias diante do Atlético-PR e Avaí, ambos por 1 a 0. E, na partida que culmina no título da competição, a equipe de Carille bate o Fluminense por 3 a 1 e conquista o heptacampeonato brasileiro.

Os destaques da conquista corintiana

Jô, o filho pródigo que retorna

Revelado pelo próprio Corinthians, havia entrado para a história do clube como o jogador mais jovem a atuar numa partida entre os profissionais, com apenas 16 anos.

Após saída e títulos por outras equipes, o atacante retorna ao futebol brasileiro em 2017, justamente ao clube pelo o qual foi revelado. E consegue a marca de principal destaque na conquista do seu primeiro título com a camisa do Timão.

Jô é o principal destaque do título corintiano no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

Jô é o principal destaque do título corintiano no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

Com total de 18 gols marcados, empatado com Henrique Dourado, Jô viveu um ano dos sonhos. E para completar, se consagrou como o primeiro a ser campeão nacional e artilheiro pelo Corinthians numa mesma temporada.

Rodriguinho, o motor do time

Além de Jô, o Corinthians teve outras peças fundamentais na conquista deste título. O meio-campista Rodriguinho, por exemplo, foi quem mais finalizou na equipe. Além de ser responsável também pelo terceiro passe, ou seja, passe que antecipa a assistência para as finalizações.

Rodriguinho é o jogador que mais finaliza para o Corinthians no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

Rodriguinho é o jogador que mais finaliza para o Corinthians no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

Fundamental para ditar o ritmo de jogo do Corinthians, Rodriguinho não esteve presente em quatro partidas, ainda no primeiro turno, diante de Vasco, São Paulo, Cruzeiro e Atlético-PR. Entretanto, em boa parte do campeonato demonstrou qualidade no futebol jogado, o que o fez chegar à convocação para seleção brasileira.

Rodriguinho tem três gols no campeonato e quatro assistências, números baixos quando se pensa na definição de uma partida. Porém, a principal finalidade de Rodriguinho é de oferecer ritmo ao meio de campo. E, por vezes, auxiliar na recomposição.

Sendo assim, vale ressaltar a efetividade do meia no quesito desarmes – apenas três incorretos em toda a competição – e na qualidade dos passes, com uma média de 34 passes certos no campeonato.

A efetividade de Rodriguinho nos passes: média de 34 certos por jogo no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

A efetividade de Rodriguinho nos passes: média de 34 certos por jogo no Brasileiro 2017 (Fonte: Footstats)

O comandante

Não menos merecedor de destaque, Fábio Carille, que passou de auxiliar à comandante técnico da equipe, também entra para a história do clube. Entra para a lista dos técnicos consagrados campeões brasileiros em seu primeiro ano na profissão.

Carille se junta à nomes como os de Carlos Alberto Torres e Andrade, campeões com o Flamengo em 1983 e 2009, respectivamente. Outro corintiano completa a lista: Oswaldo de Oliveira conquistara o título de campeão brasileiro em 1999, após assumir a equipe com a saída de Luxemburgo para a seleção brasileira.

O treinador teve papel fundamental na montagem e desenvolvimento tático do Corinthians neste ano de 2017. O que refletiu na conquista do Campeonato Paulista no primeiro semestre, nos números expressivos do primeiro turno e, por consequência, no título do Campeonato Brasileiro.

"<yoastmark

Com esta sétima conquista nacional, o Corinthians se aproxima do Palmeiras em títulos. Possui dois a menos que o alviverde. Além de aumentar a larga vantagem dos clubes paulistas em conquistas da competição nacional: são 31 para os clubes do Estado de São Paulo, 15 para os clubes do Rio de Janeiro. Minas Gerais e Rio Grande do Sul, com cinco conquistas cada, Bahia e Paraná com duas, além de Pernambuco com uma única conquista, completam a lista dos estados com campeões brasileiros.

Comentários